Relacionados

Newsletter




Evangelho de Quinta-feira, 23 de Janeiro de 2020

S. João 4,1-15

"1Jesus soube que os fariseus tinham ouvido dizer que ele fazia e batizava mais discípulos do que João. 2Na verdade não era Jesus quem batizava, mas sim os discípulos. 3Então deixou a Judeia e voltou para a Galileia. 4Na viagem, tinha de atravessar a Samaria. 5Chegou então a uma terra da Samaria que se chama Sicar, perto do terreno que o patriarca Jacob tinha dado a seu filho José6Era ali o lugar do poço de Jacob. Cansado da caminhada, Jesus sentou-se à beira do poço. Era por volta do meio-dia. 7Nisto, chegou uma mulher samaritana que ia tirar água ao poço e Jesus pediu-lhe de beber. 8Os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida. 9A mulher disse-lhe: «Mas como é que tu, um judeu, te atreves a pedir-me água a mim que sou samaritana?» De facto, os judeus não se davam bem com os samaritanos10«Se tu conhecesses o que Deus tem para dar», respondeu-lhe Jesus, «e quem é aquele que te está a pedir água, tu é que lhe pedirias e ele dava-te água viva.» 11Disse-lhe a mulher: «Nem sequer tens um balde e o poço é fundo! Donde é que tiras a água viva? 12O nosso antepassado Jacob deixou-nos este poço. Ele mesmo, os seus filhos e os seus rebanhos vinham aqui beber. Não me digas que és mais importante que Jacob.» 13«Quem bebe desta água», afirmou Jesus, «volta a ter sede, 14mas quem beber da água que eu lhe der, nunca mais há de ter sede, porque a água que eu lhe der torna-se dentro dessa pessoa numa fonte que lhe dá a vida eterna.» 15A mulher pediu-lhe: «Senhor, dá-me então dessa água para eu nunca mais ter sede, nem precisar de vir buscar água a este poço.»"